Arritmia: quando o coração desregula

Em condições normais, o coração bate entre 60 e 100 vezes por minuto. Isso é o que chamamos de frequência cardíaca, ou seja, a velocidade do ciclo cardíaco medida pelo número de contrações do coração por minuto (bpm). Essa frequência pode variar de acordo com as necessidades físicas do organismo, incluindo a necessidade de absorção de oxigênio e excreção de gás carbônico. Em pessoas que se exercitam rotineiramente, ou que recebem medicamentos para diminuir o ritmo cardíaco, a frequência pode cair para 55 batimentos por minuto.

Se sua frequência cardíaca for rápida (mais de 100 batimentos por minuto), essa condição é chamada de taquicardia. A frequência lenta é chamada de bradicardia.
Arritmias cardíacas são alterações elétricas que provocam modificações no ritmo das batidas do coração. Elas são de vários tipos: taquicardia, quando o coração bate rápido demais; bradicardia, quando as batidas são muito lentas, e há casos em que o coração pulsa com irregularidade (“descompasso”), sendo sua pior consequência a morte súbita.

Os sintomas mais comuns são palpitações ou “batedeiras”, desmaios e tonturas. Em outros casos, os pacientes podem apresentar falta de ar, suor excessivo, pressão baixa e dor no peito. Mas, muitas vezes, as arritmias cardíacas não provocam sintomas, e é aí que mora o perigo!

Toda doença silenciosa é, por isso, perigosa. Para prevenir as arritmias cardíacas, assim como demais doenças cardíacas, é preciso ter hábitos saudáveis: uma alimentação balanceada, rica em legumes, frutas e verduras, não ingerir ou não exceder no consumo de bebidas alcoólicas e energéticos, não fumar, praticar atividades físicas, dar atenção à saúde emocional e, pelo menos uma vez por ano, consultar-se com um cardiologista para a realização de exames preventivos.

O eletrocardiograma é um exame simples e complementar para avaliação cardiológica, capaz de detectar alterações cardíacas. Anote seus sintomas e leve-os ao médico. Não se esqueça de descreve-los em detalhes para que o especialista possa realizar corretamente o diagnóstico.