O Novembro Azul chegou. Vamos aderir!

O câncer de próstata se desenvolve lentamente nos homens e muitas vezes os sintomas demoram a se manifestar. No entanto, bem mais ágil deve ser a prevenção e o tratamento dessa doença, o que é proposto neste mês pela campanha Novembro Azul. Trata-se de um esforço mundial para reduzir a incidência da doença, que causa 28,6% das mortes na população masculina. Já no Brasil, um homem morre a cada 38 minutos, conforme o Instituto Nacional do Câncer (Inca). O Hospital do Coração está comprometido com diversas ações ao longo deste mês. Fique atento!

O crescimento nas taxas de incidência no país deve-se a três fatores: à evolução dos métodos diagnósticos (exames), à melhoria na qualidade dos sistemas de informação e ao aumento na expectativa de vida. Se o brasileiro está vivendo mais, fica mais vulnerável. O câncer de próstata é considerado um mal da terceira idade, uma vez que três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.

 

 

 

O que é exatamente a próstata?

 

 

Ela é um órgão muito pequeno, tem a forma de uma maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. Ela também produz parte do sêmen.

 

 

 

 

Doença silenciosa

Mais de metade dos homens com mais de 60 anos tem aumento da próstata. Esta condição é denominada hiperplasia prostática benigna (HPB) ou hipertrofia benigna da próstata. Não se sabe exatamente por que este aumento ocorre. No entanto, não é câncer e não provoca câncer. É importante mencionar que alguns homens podem apresentar sintomas da HPB enquanto outros não.

Nem por isso deve-se descuidar do diagnóstico precoce, pois trata-se de uma enfermidade silenciosa. A maior parte dos tumores cresce lentamente (leva cerca de 15 anos para atingir 1cm³) e não chega a dar sinais e nem a ameaçar a saúde do homem. É com a exceção que devemos ter cuidado: alguns desses tumores podem aumentar de forma acelerada, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte.

Os fatores de risco são em parte hereditários e em parte por maus hábitos de saúde. No que tange à hereditariedade, as chances são aumentadas se existe histórico familiar entre pai, irmão e tio. Obesidade também é outro fator de risco, assim como homens negros são mais vulneráveis à doença.

 

 

É por ser uma doença silenciosa, que o cuidado deve ser redobrado. O câncer de próstata não apresenta sintomas e quando eles finalmente aparecem, já é tarde demais.  Noventa e cinco por cento dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura.

Quais são os sintomas?

  • Dor óssea;
  • Dores ao urinar;
  • Vontade de urinar com frequência;
  • Presença de sangue na urina e/ou no sêmen.

 

Vamos prevenir?

Para prevenir, só há uma saída, o diagnóstico precoce. E isso se faz com exames a partir dos 45 anos para homens com fatores de risco e 50 anos sem fatores de risco. Os homens devem procurar um urologista para fazer o toque retal, que permite ao médico avaliar as alterações da glândula – como o endurecimento e presença de nódulos suspeitos –, e o exame de sangue PSA.  Ele detecta qualquer lesão da membrana da célula prostática, mesmo que transitoriamente.

A boa notícia é que 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da glândula para análise, guiadas pelo ultrassom.

 

 

Fontes:

 

Biblioteca Virtual em Saúde (Ministério da Saúde)

http://bvsms.saude.gov.br/

Instituto Oncoguia

http://www.oncoguia.org.br/

 

Instituto Nacional do Câncer

http://www2.inca.gov.br/

 

Minha Vida

https://www.minhavida.com.br/

Tua Saúde

https://www.tuasaude.com/